Home / notícias / Governo Pimentel dá calote no 13º salário dos servidores de Minas

Governo Pimentel dá calote no 13º salário dos servidores de Minas

Os servidores de Minas Gerais não têm data para receber o 13º salário de 2018. Após várias reuniões nas últimas semanas em que prometia definir escala de pagamento do benefício, o governo Fernando Pimentel (PT) divulgou nota nesta sexta-feira em que afirma não ter dinheiro em caixa para quitar o benefício e, com isso, o débito será empurrado para o governador eleito Romeu Zema.

Segundo o chefe das Relações Trabalhistas do Governo de Minas Gerais, Carlos Calazans, o atraso se dá por causa da falta de recursos. “Com relação ao 13° salário, o Governo de Minas Gerais comunica que, apesar de todos os esforços financeiros realizados, não conseguiu viabilizar o seu pagamento no exercício de 2018”, diz trecho de comunicado divulgado pelo governo estadual (leia a íntegra abaixo). 

O governo estadual esperava receber repasse do governo federal referente à desoneração do ICMS para quitar uma parcela do benefício, mas, segundo a Assessoria de Relações Sindicais do governo de Minas, o valor só será quitado em 2019.

“Apesar de todos os esforços financeiros que foram envidados, o Governo de Minas Gerais lamenta não ter conseguido pagar nem anunciar o parcelamento do 13º ainda neste ano”, diz outro trecho do comunicado divulgado pelo governo Pimentel.

O governo diz ter depositado o salário referente a novembro nesta sexta-feira. 

Veja a nota do governo na íntegra:

O Governo de Minas Gerais, por meio da Assessoria de Relações Sindicais (ARS), informa que, conforme tinha se comprometido anteriormente, o pagamento dos salários do mês de novembro – pago em dezembro – está sendo efetuado no dia de hoje (28/12) a todos os servidores ativos e inativos do Executivo estadual.

Com relação ao 13° salário, o Governo de Minas Gerais comunica que, apesar de todos os esforços financeiros realizados, não conseguiu viabilizar o seu pagamento no exercício de 2018. 

Foi aguardado até o último momento um crédito de R$ 200 milhões, por parte do Governo Federal, referente à “compensação financeira em função da perda de receita decorrente da desoneração de ICMS sobre exportações de bens e da concessão de créditos nas operações anteriores”, aprovada no Congresso Nacional (PLP 511/2018). O Governo Federal informou que este crédito só será repassado em 2019. 

Outra importante perda de recursos ocorreu com o leilão da securitização das dívidas, que não obteve oferta com o desconto permitido. Com isso, o Estado estima que deixou de arrecadar cerca de R$ 500 milhões. 

Estes valores, somados, permitiriam ao Estado o pagamento de parte do 13º salário de todos os servidores do Executivo estadual, ativos e inativos, em 2018. 

Apesar de todos os esforços financeiros que foram envidados, o Governo de Minas Gerais lamenta não ter conseguido pagar nem anunciar o parcelamento do 13º ainda neste ano.

Fonte: Jornal O Tempo

Veja também

Sindicatos encaminham ofício ao Governador Romeu Zema

Após reunirem na última quarta-feira (16/1), os sindicatos que compõem a Coordenação Intersindical encaminharam um ...