Home / Destaques / SISIPSEMG e entidades sindicais reúnem com presidente da ALMG para discutir a reforma da previdência

SISIPSEMG e entidades sindicais reúnem com presidente da ALMG para discutir a reforma da previdência

Foto: ALMG
Foto: ALMG

Na tarde desta terça-feira (23/6), a diretora do SISIPSEMG, Tieta, participou de reunião conjunta, por vídeo conferência, com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus, e a deputada Beatriz Cerqueira.

Na reunião, representantes de diversas entidades sindicais discutiram os impactos da reforma da previdência para os servidores públicos e para o IPSEMG e entregaram um documento ao presidente solicitando a retirada de tramitação da proposta encaminhada pelo governador Romeu Zema.

Na ocasião, a deputada Beatriz Cerqueira falou sobre a ausência de diálogo do governo com as categorias e o fato do governador encaminhar justamente neste momento uma reforma que ataca os servidores públicos que estão na linha de frente do enfrentamento à pandemia e também projetos que desmontam o IPSEMG.

Em sua fala, Tieta criticou duramente a proposta de reforma apresentada pelo governo. “Essa é uma proposta que destrói a autarquia IPSEMG e acaba com o Instituto de uma forma imoral. Nada justifica o fim da Instituição. Não é necessário acabar com o IPSEMG para fazer uma reforma. O Instituto é um patrimônio do funcionalismo público de Minas Gerais, construído com o dinheiro dos servidores. Com essa reforma, o governo simplesmente quer levar todo o patrimônio para essa nova autarquia”, afirmou.

Além disso, a diretora do Sindicato também ressaltou que proposta altera o Estatuto do servidor, sem nenhum diálogo e de forma autoritária. “A Assembleia Legislativa sempre discutiu com as categorias os encaminhamentos que envolvem os servidores.”

Tieta solicitou apoio ao presidente da Casa para que o Projeto seja retirado da pauta de votação. “Gostaríamos que o senhor não assinasse o fim do IPSEMG. A Assembleia não pode ser conivente com o fim da seguridade social. Isso vai ficar na história. O Instituto é autossustentável e se estiver realmente deficitário, como alega o governo, a culpa não é do servidor, mas sim do rombo causado com os desvios de recursos do Instituto pelos governos anteriores.

Em suas considerações finais, a deputada Beatriz Cerqueira ressaltou, ainda, que essa reforma não tem condições de ter uma tramitação na ALMG. Para a parlamentar, o governador deveria chamar as entidades para um processo de negociação e encaminhar o resultado à Assembleia. “O IPSEMG é patrimônio dos servidores e nós vamos lutar para que ele permaneça”, afirmou.

O presidente da Assembleia agradeceu a possibilidade de ouvir as representantes dos servidores e afirmou que irá levar em consideração o adiamento da discussão, para que esta ocorra com mais transparência e legitimidade. Agostinho Patrus também se colocou a disposição para ouvir os servidores e reforçou que a Assembleia terá uma responsabilidade ainda maior ao tratar a questão após ouvir todas as colocações das entidades.

NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA E AO FIM DO IPSEMG!

Confira abaixo o documento entregue pelas entidades ao presidente  da Assembleia:

IMG-20200623-WA0001

Veja também

pagando-contas

Governo informa data de pagamento dos servidores no mês de julho

O governador Romeu Zema informou, na tarde desta terça-feira (7/7), que os servidores das áreas ...